terça-feira, agosto 09, 2005

PEQUENOS GESTOS

Há uma grande superfície comercial que disponibiliza transporte gratuito aos utentes. Uma iniciativa destas deve ser aproveitada. É o que faço.
Pois, um belo dia, usufrui deste serviço. A camioneta ia quase lotada e, na última paragem antes de chegar ao destino, encheu por completo, ficando mesmo algumas pessoas de pé. Destas destacou-se uma mulher de meia-idade, com grandes dificuldades de locomoção, porque o lado esquerdo do seu corpo estava quase paralisado. À boa maneira portuguesa, os utentes limitaram-se a olhar fixamente para a deficiência da senhora e para as suas tentativas de equilíbrio, mas não houve ninguém que lhe cedesse o lugar. Cedi eu.
Depois das compras, as pessoas dirigirem-se para a paragem e formam uma fila. Desta vez, eu estava mais para o fim da fila e pensava que teria ir de pé. E ia. Porém, quando entrei na camioneta, alguém chamava insistentemente: “Menina, menina!” Aquela senhora, a quem eu tinha dado o meu lugar, apesar de a camioneta já estar cheia, tinha-me guardado, de propósito, um lugar à sua beira.
Quem acabou de ler este texto tem agora um sorriso estampado no rosto, tal como eu na viagem de regresso!
Maria Ortigão

2 comentários:

Cláudio Alves disse...

A simpatia genuína (ainda) compensa.

cristina disse...

:)